Skip Navigation Links
HOME
QUEM SOMOS
VIDA DA PO
CONCÍLIO VATICANO II
GALERIA DE FOTOS
FALE CONOSCO
MEMÓRIASExpand <b>MEMÓRIAS</b>
LOCALIZAÇÃO
LINKS
 
Busca:
 
Imagem
  
VIDEOS [+] mais
  
Depoimentos
ESPIRITUALIDADE
OS RISCOS DO TRABALHO

 A cada 15 segundos, um trabalhador morre no mundo devido a acidentes ou doenças do trabalho!  Não, você não leu errado. É isso mesmo. A cada 15 segundos. Pelo menos é o que informa a Organização Internacional do Trabalho (OIT) em seu site (www.ilo.org/global/topics/safety-and-health-at-work/lang--en/index.htm). E o mais triste ainda é ver que esta realidade tão trágica acaba não recebendo a devida atenção por parte da mídia e consequentemente pela população de maneira geral.

Quando uma pessoa é assassinada, vários programas de rádio e de televisão comentam o caso de forma exaustiva já que não se trata de uma morte natural, ou como se diria popularmente, não é uma morte “morrida” e sim uma morte “matada”. Mas poucos se dão conta que uma morte devido a um acidente ou doença do trabalho também não é uma morte natural, ou seja, também é uma morte “matada”, uma vez que ela foi provocada já que não teria ocorrido se fossem tomadas ações adequadas para preveni-la.

Os acidentes e doenças do trabalho provocam além da dor para as pessoas, prejuízos enormes para todos. Calcula-se que cerca de 4 % do Produto Interno Bruto (PIB) é o custo para os países em geral devido a ocorrência de acidentes e doenças do trabalho. Tanto para os empregados, que sofrem diretamente com o problema, como para os empregadores que tem que desembolsar somas vultosas de indenizações para os familiares dos trabalhadores mortos e também para o governo, esta questão parece não comover ninguém uma vez que até os sindicatos das categorias raramente tem estatísticas em seus sites dos casos  ocorridos e quando fazem alguma coisa, normalmente é mais para “protestar” politicamente do que exigir melhorias nas condições de trabalho, que no fundo, são as maiores causas deste tipo de ocorrência. 

Mas não são somente as mortes que afetam negativamente o mundo do trabalho. Quantas pessoas que estão incapacitadas, não só para o trabalho como também para fazer suas atividades pessoais, devido a algum tipo de acidente ou doença ocorrido durante a realização de uma determinada tarefa? Quantas pessoas mutiladas, quantos membros decepados, quantas doenças de diversas origens, quantos traumas, lesões, etc. Segundo a mesma OIT, acontecem também a cada 15 segundos, 160 acidentes e doenças no trabalho não mortais no mundo.  Estes dados revelam uma realidade assustadora. Você pode até achar que eu estou exagerando, mas como diria o José de Saramago, não sou eu que sou pessimista e sim a realidade é que é péssima.

Todos nós somos trabalhadores. Isto significa dizer que doenças e acidentes podem acontecer a qualquer um de nós, pois a todo o momento estamos expostos a riscos provenientes das tarefas que fazemos. Mesmo uma atividade aparentemente inócua implica em riscos de várias origens. Umas mais, outras menos, mas todas - sem exceção - podem ocasionar doenças ou acidentes. E agora estou me referindo não só às atividades relacionadas ao trabalho como também a todas as tarefas que realizamos em casa ou mesmo no lazer. E não são somente as condições em que realizamos o trabalho que são importantes, mas o nosso comportamento perante ao risco também é um fator decisivo para se evitar a ocorrência de acidentes e doenças. Por exemplo, quando acendemos um cigarro estamos assumindo o risco de contrair uma doença como o câncer de pulmão. Quando dirigimos o carro em alta velocidade ou depois de ingerir álcool aumentamos o risco de provocar um acidente. Ao atravessar a rua, ao cozinhar, ao tomar banho, enfim, todos os dias somos expostos a uma série de riscos que podem provocar algum tipo de dano à nossa saúde. E para nos prevenir, devemos conhecer estes riscos e também a forma adequada que devemos agir para evitar que estes acidentes ocorram.

 
< Voltar para a página anterior
 
  Endereço: Rua Guarapuava, 317 
Bairro: Mooca - São Paulo - SP - CEP 03164-150
 email: pastoral.operaria.nacional@gmail.com  e contato@pastoraloperaria.org.br
Tel.: (11) 2695-0404/ Fax.: (11) 2618-1077