Skip Navigation Links
HOME
QUEM SOMOS
VIDA DA PO
CONCÍLIO VATICANO II
GALERIA DE FOTOS
FALE CONOSCO
MEMÓRIASExpand <b>MEMÓRIAS</b>
LOCALIZAÇÃO
LINKS
 
Busca:
 
Imagem
  
VIDEOS [+] mais
  
Depoimentos
ESPIRITUALIDADE
DIRETRIZES EM VISTA DE UMA TEOLOGIA DO TRABALHO [Pe Miguel Pipolo].

 

Pe Miguel Pipolo

.Assessor da PO Nacional

 

"O trabalho é uma necessidade, faz parte do sentido da vida nesta terra, é caminho de maturação, desenvolvimento humano e realização pessoal". (Papa Francisco - "Laudato Si").

 
ASPECTOS BÍBLICOS
 
Antigo Testamento
 

   1. Deus é criador onipotente (Gn2,2; Jó 38-41; Sl 104; Sl 147). Ele plasma o homem à sua imagem; convida-o a cultivar a terra e a guardar o jardim de Éden em que o pôs(cf Gn 2,15). Ao primeiro casal é confiada a tarefa de submeter a terra e de dominar sobre todo ser vivente (cf Gn 1,28).

    2. No desígnio do Criador as realidades terrenas, boas em si mesmas, existem para o homem. O deslumbramento ante o mistério da grandeza do homem leva o salmista a exclamar: "Que é o homem, para nele pensardes? Que são os filhos de Adão, para que vos ocupeis deles? Entretanto, vós o fizestes quase igual aos anhos, de glória e honra o coroastes. Deste-lhes poder sobre as obras de vossas mãos; vós lhe submetestes todo o universo" (Sl 8,5-7).

    3. O trabalho  pertence à  condição  originária do  homem e  precede à sua  queda; não é, portanto,  nem punição nem maldição. Ele se torna fadiga e pena por causa do pecado que quebrou o relacionamento confiante e harmonioso com Deus (cf Gn 3,6-8). Da árvore do conhecimento do bem e do mal (cf Gn 2,17), o homem tudo recebeu como dom. A tentação de ser como deuses (cf Gn 3,5) tornou o solo ingrato e hostil (cf Gn 4,12). Só do suor da fronte será possível extrair o alimento (cf Gn 3,17-19). Mesmo assim, o homem continua a ser cultivador e guardião da criação.

     4. O trabalho é fonte de riqueza; é instrumento eficaz contra a pobreza (cf Pr 10,4). Mas o trabalho não deve ser idolatrado. O princípio fundamental da Sabedoria é o temor do Senhor; a exigência que daí deriva, precede o lucro: "Vale mais um pouco com o temor do Senhor, que um grande tesouro com a inquietação" (Pr 15,16). "Mais vale o pouco com justiça do que grandes lucros com iniquidade" (Pr 16,8).

    5. Cenral ao ensinamento bíblico sobre o trabalho é o mandamento do repouso sabático. A memória e a experiência do sábado constituem um baluarte contra a escravização do homem ao trabalho, voluntário ou imposto, contra toda forma de exploração, encoberta ou manifesta. O repouso sabático foi instituído em defesa do pobre, e pode durar o que for necessário (Ex 23,10-11). O acúmulo de bens por parte de alguns pode tornar-se uns subtração de bens a outros.

 
Novo Testamento
 

1. Jesus dedicou-se ao trabalho manual na oficina de José (cf Mt 13,55 - Mc 6,3).

2. Jesus condena o comportamento do servo indolente que esconde debaixo da terra o talento (cf Mt 25,14-30).

3. Jesus louva o servo fiel e prudente que o patrão encontra aplicado em cumprir a tarefa que lhe fora confiada (cf Mt 24,46).

4. Jesus descreve sua missão como um trabalhador. "Meu Pai trabalho ate agora e eu também trabalho" (Jo 5,17).

5. Jesus descreve seus discípulos como operários na messe do Senhor, que é a humanidade a evangelizar (cf Mt 9,37-38). Para eles vale o princípio geral: "o operário é digno do seu salário" (Lc 10,7).

6. Jesus ensina a não se deixar escravizar pelo trabalho;  ganhar o  mundo  inteiro  não é o  objetivo da vida (cf Mt 8,36). Fundamental é não correr o risco de negligenciar o Reino de Deus e a sua justiça (cf Mt 6,33), de que necessita. O trabalho encontra seu lugar, o seu sentido e o seu valor somente se orientado para o Reino, coisa única e necessária que jamais lhe será tirado (cf Lc 10,40-42.)

7. Jesus realiza obras portentosas para libertar o homem da doença, do  sofrimento e da morte. O sábado proposto como dia de libertação e observado só formalmente em seu conteúdo autêntico e valor originário, é reafirmado por Jesus no seu valor originário: "O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado!" (Mc 2,17).

8. Jesus realiza curas no sábado (cf Mt 12,9-14; Mc 3,1-6; Lc 6,6,-11; 13,10-17);14,1-6). Libertar do mal, praticar a fraternidade e a partilha é conferir ao trabalho o seu significado mais nobre, aquele que permite à humanidade encaminhar-se para o Sábado eterno, no qual o repouso se torna festa a que o homem interiormente aspira.

 
Resumo
 

    A atividade humana de enriquecimento e de transformação do universo pode e deve fazer vir à tona as perfeições nele escondidas. Os escritos de Paulo e João ressaltam a dimensão trinitária da criação e o laço entre o Filho-Verbo e a criação (cf Jo 1,3; 1Cor 8,6; Cl 1,15-17). Em Jesus e por meio dele o universo não é um amontoado casual, mas um "cosmo", cuja ordem o homem deve descobrir, ajudar e levar à plenitude. Em Jesus Cristo o trabalho humano se transforma em serviço prestado à grandeza de Deus. O trabalho deve ser considerado como meio de santificação e animação das realidades terrenas no Espírito de Cristo.

 
Os Padres da Igreja
 

    Eles nunca consideraram o trabalho como "obra servil", assim pensado naquela época. Sempre consideraram o trabalho como "obra humana". Assim sendo:

1. São João Crisóstomo. Mediante o trabalho o homem governa com Deus o mundo; juntamente com Ele é sempre seu senhor, e realiza coisas boas para si e para os outros. O ócio é nocivo ao ser humano, enquanto a atividade favorece o seu corpo e o seu espírito.

2. São Basilio Magno - Santo Atanásio.  O cristão é  convocado a trabalhar não só para conseguir o pão, mas também por solicitude para com o próximo mais pobre, ao qual o Senhor ordena dar de comer, de beber, de vestir como acolhimento, atenção.

3. Santo Ambrósio. Cada trabalhador é a mão de Cristo que continua a criar e a fazer o bem.

4. Teodoreto de Ciro. Com o seu trabalho e laboriosidade, o homem participa da arte e da sabedoria divinas e torna mais bela a criação, o cosmo já ordenado pelo Pai; suscita aquelas energias sociais e comunitárias que alimentam o bem comum a favor sobretudo dos mais necessitados.

 

"Penso que os sofrimentos do momento presente não se comparam com a glória futura que deverá ser revelada em nós. A própria criação espera com impaciência a manifestação dos filhos de Deus. Entregue ao poder do nada, não por sua própria vontade, mas por vontade daquele que a submeteu-, a criação abriga a esperança pois ela também será libertada da escravidão da corrupção, para participar da liberdade e da glória dos filhos de Deus" (Rm 8,18-21). É pelo trabalho que o ser humano realiza o seu destino de também ser criador. Ele verá ent

 
< Voltar para a página anterior
 
  Endereço: Rua Guarapuava, 317 
Bairro: Mooca - São Paulo - SP - CEP 03164-150
 email: pastoral.operaria.nacional@gmail.com  e contato@pastoraloperaria.org.br
Tel.: (11) 2695-0404/ Fax.: (11) 2618-1077